quarta-feira, 5 de maio de 2010

Média da remuneração de estágios

Estagiários recebem, em média, R$ 683,33 no Brasil em 2010, queda de 3,2% em relação a 2009 de acordo com pesquisa realizada pelo Núcleo Brasileiro de Estágios (NUBE). O estudante do curso de engenharia é o que recebe a maior remuneração, com bolsa-auxílio de R$ 1.022,30 – o curso está no topo do ranking há três anos.


O curso com a bolsa mais baixa é o de fisioterapia: média de R$ 300,44.

Leia mais aqui, ou aqui.

Exponho isto para fazer um paralelo com a remuneração média dos profissionais fisioterapeutas formados, muitos com pós-graduações e cursos de extensão. Na realidade, o salário de estagiários de outras áreas é luxo para profissionais de nível superior em nossa área.

Porém, quem pode valorizar nossa mão de obra não é apenas o mercado, livre, competitivo e impiedoso, mas nós mesmos, colegas de profissão, acima de tudo! Qualificação, organização, consciência  e parceria são fundamentais para desviarmos desta tendência de desvalorização.

E vou mais longe... Prezado colega, ou ajuda, ou dá licença!

6 comentários:

Humberto Neto disse...

Postagem extremamente relevante. Sempre achei uma tremenda crueldade os "estágios não remunerados" em fisioterapia. Quando eu era acadêmico, atendi paciente em clínicas particulares, muitas das vezes sozinho e sem uma supervisão minimamente descente. E o pior! Não podia dizer aos pacientes que eu era estagiário, afinal de contas eles estavam pagando!!!
Como eu fui ingênuo...
E esta é uma pratica que ainda existe hoje em dia. Isso é uma vergonha! Como poderemos exigir respeito se muitas vezes somos os primeiros a sacanear os nossos futuros colegas?
Felizmente a coisa parece que está mudando. Não estou bem interado, mas me parece que existe uma lei que obriga todos os estágios a serem remunerados. Já é um começo...
Lázaro, parabéns por levantar este tema.
Humberto Neto

Lázaro Juliano Teixeira disse...

Obrigado Humberto:
È meu caro, o problema é complexo!
Tomar consciência deste problema, aceitando que é de todos, é o início da solução e admití-lo como coletivo é importante, pois o problema que um indivíduo (profissional) provoco no seua meio (mercado), o afetará diretamente (por reflexo), mais cedo ou mais tarde!
Seja explorando a atividade de estágio, seja desvalorizando colegas, seja tendo-os unicamente como concorrentes e não parceiros.
A solução é apenas nossa!
Um abraço,
Lázaro

Anônimo disse...

É triste constatar desde a faculdade como nossa profissão é devalorizada. Durante todo o curso, meus estágios foram não remunerados e desprovidos de auxílio qualquer coisa...
Amor pela profissão é o que nos resta! Fisioterapeutas, na luta pela dignidade da profissão!
Ana Carolina

Anônimo disse...

É até engraçado ler esse post, seria cômico se não fosse trágico, como diria o dito popular, pois estou passando por essa situação já citada pelos meus nobres colegas. E o pior de tudo é que eu achava que pelo menos iria aprender bem mais, a falta de supervisão se traduz numa falta de humanidade para com os pobres pacientes que deveriam ser tratados da forma mais correta o possível e não apenas por um aprendiz ainda. Se não fosse o amor e a certeza que tenho dessa profissão já teria desistido. E é isso, é bom saber que existem profissionais humanos e interessados em melhorar a nossa profissão. Afinal há esperança...

Anônimo disse...

Parabéns pelo blog! O conteúdo é muito bom!
queria dizer que a triste realidade descrita no post não se restringe ao estágio extracurricular, na faculdade onde eu estudo existia uma clinica-escola que atendia a população carente da cidade gratuitamente. Mas essa clinica foi fechada, a faculdade alegou que os custos para mante-la aberta eram muitos... então um professor espertinho propôs uma parceria com a direção da faculdade, vendeu a clínica para a faculdade ( melhor dizendo apenas a marca que ele construiu) e atualmente nós alunos atendemos os pacientes que eram dele (que por sinal já estão la a anos e não melhoram), e a faculdade recebe por isso através dos convênios e planos, e pelos atendimentos particulares! E o pior de tudo.. as pessoas continuam achando que a clinica é do professor e que nós estagiários somos meros empregados. Quando as pessoas perguntam sobre nossa formação somos obrigados a mentir, pois o antigo dono virou coordenador da clinica e supervisor/preceptor do estágio ambulatorial. QUE NEGÓCIO DA CHINA, NÃO?! ISSO É UMA EXPLORAÇÃO! Me recusei a fazer o estágio nessa clinica e tive que ir atrás de um local de estágio, mas as coisas não mudam muito de um local para outro... são clientes atendidos ao mesmo tempo, fico impressionada na clinica da faculdade o paciente chega senta o estagiário fala as séries e volumes e o paciente faz os exercícios sozinho, sem a supervisão e orientação do terapeuta. Isso quando não jogam o cliente no ondas curtas e esquece por lá a manhã toda. Veja só que incentivo recebemos dos nossos próprios formadores... é assim que a minha faculdade que ver os futuros fisioterapeutas e a fisioterapia... choquinho+ alongamentozinho (" que não faz mal a ninguém")+ gelo+ choquinho... e por aí vai!
onde fica a ciência? a ética? a humanização? e a responsabilidade social?

Lázaro Juliano Teixeira disse...

Dados atualizados sobre este assunto podem ser acessados no endereço http://www.nube.com.br/imprensa/noticia?id_noticias=3881#.TrHVE_SXu5k.
Desta vez foram relacionados apenas os cursos cujos estágios são mais bem pagos, e não os menos pagos.
Note a acensão dos cursos de tecnólogos!! E se quiser comparar com o seu salário, fique á vontade!
Abraços e boa sorte, Lázaro